quinta-feira, 14 de setembro de 2017

VÍDEO. LOS TAYOS: A BIBLIOTECA DE OURO DO EQUADOR


A BIBLIOTECA DE OURO DO EQUADOR. Metal or Crystal Library é um sistema de túneis e cavernas situadas entre o Equador e o Peru que, segundo as tradições místicas, guarda um tesouro de artefatos antigos, incompreensíveis e incomuns; entre eles, a fantástica biblioteca de livros de pedra e tábuas de cristal.

Uma das entradas para este labirinto é a  Cueva de Los Tayos. A localização das cavernas, a própria biblioteca - parecem ser um conhecimento proibido para o mundo, um segredo muito bem guardado.

As primeiras notícias sobre a Biblioteca de Cristal, ou Biblioteca de Ouro, chegaram ao mundo civilizado através de um padre salesiano, o italiano de Torino,  Carlos Crespi Croci (1891-1982) que, em 1927, disposto a fundar Missão Cristã para catequizar indígenas da floresta sul-americana, embrenhou-se na selva equatoriana em Morano-Santiago onde estabeleceu contato com os índios Shuares das nações Coango e Jivaros (os encolhedores de cabeças).


A interação do catequista com os nativos foi de tal modo exitosa  que, ao longo do tempo, muitos presentearam o padre Crespi com algumas de suas mais preciosas relíquias: estatuetas, lápides de pedra e lâminas metálicas cobertas de inscrições desconhecidas. 

Quando questionados sobre a origem das peças, os nativos disseram que tinham encontrado aquilo em cavernas subterrâneas. O padre guardava tudo em sua paróquia - misteriosamente incendiada em 1962 quando muitos objetos foram destruídos ou danificados.

Em 1973, Erich von Daniken, autor do best seller Eram os deuses astronautas e todas as sequências, decobriu Los Tayos e revelou ao mundo que havia entrado um sistema de túneis gigante - no Equador cuja extensão atravessava todo o continente.

Em 1976, o pesquisador escocês Stanley ("Stan") Hall se interessou pela Biblioteca. As imagens de vídeo aqui apresentadas são parte dos registros da pesquisa de Stan Hall no local do achado. São entrevistas com Padre Crespi, expedições aos tuneis de Los Tayos, imagens - da coleção de Padre Crespi. Em 2006, Phillip Coppens escreveu em The Quest for The Metal Library:

A biblioteca consistia em largos livros de metal, cada um pesando cerca de 20 quilos, com ideogramas, figuras geométricas e outros caracteres de escrita, impressos em um dos lados. Uma segunda biblioteca reunia com inscrições gravadas em pequenas tábuas de cristal polido e muito translúcido.

Havia estátuas humanas e zoomórficas, portas de metal - coloridas e ornadas de pedras semipreciosas. Um sarcófago, esculpido em material também translúcido continha um esqueleto folheado a ouro de um homem de compleição física avantajada.

A época e procedência cultural desses objetos continua sendo um mistério. Os índios que padre Crespi encontrou eram primitivos cuja cultura não desenvolveu uma escrita. Por isso, a biblioteca de Los Tayos do Equador é considerada o registro de existência de um povo antigo mais evoluído, desconhecido da história e arqueologia das Américas.

MATÉRIA COMPLETA + LINKS+FONTES
http://www.sofadasala.com/historiaearqueologia/cristallibrary.htm

2 comentários:

Anônimo disse...

Certa vez eu li também num livro de Erich von Däniken - o qual agora não recordo-me o nome - onde ele narra uma história de um certo homem que contou-lhe que, certa feita, quando era apenas ainda uma criança, descobriu uma passagem subfluvial para esta caverna, vislumbrando todos esses tesouros.

LYGIA CABUS SOFÄDASALA REVISTA OCULTISTA disse...

DANIKEN. O OURO DOS DEUSES online p183
https://www.documentáriosonline.blog.br/2014/05/o-ouro-dos-deuses.html

Arquivo do blog